sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

FILHOS DE CASAL GAY

A Justiça de Ribeirão Preto, São Paulo, deu a guarda definitiva de quatro irmãos para um casal de homossexual masculino. Você pensa o que disto? Você acha que a orientação sexual do casal poderá causar alguma interferência na formação moral e ou sexual das crianças? Adoro ler os comentários de vocês.

14 comentários:

Beth Martins disse...

Medrado, penso que a criança precisa de uma referência masculina e feminina...será que estou sendo "preconceituosa"??Acho tb que uma ajuda psicólógica seria fundamental à elas...Não sou "do contra"...criar um filho, "uma vida", não é nada fácil...criar filhos sendo "pais ou mães homossexuais" é bem mais delicado.
Um grande abraço.

Boca de Cena disse...

Medrado, meu caro amigo. existem muitas formas de erradicar o preconceito das mentes infimas deste mundo. Uma delas é a levantada muito bem por você. Através desses foruns - que deveriam ter a publicação mais divulgada, ou melhor, minha opinião é que todo relacionamento é uma união consagrada pelas partes, sejam elas em respeito à homens, mulheres, cristãos, não cristãos, ou de qualquer seita. Agora uma outra colocação diz respeito à tua colocação dias atrás, ao que concerne ao comentario que tu fizestes a respeito dum musico tal: diante da postura dele em relação a musica que faz, grava, vende. Sabe, Medrado existem outros musicos que fazem trabalhos de cunho popular, tambem e que possuem uma qwualidade de composição relacionada à desigualdade social (contra), pedofilia e trabalho infantil (denunciando), e que estão seguindo uma rota diante do grande publico até mesmo sem tanta divulgação apelativa, não creio q sua postura talvez mereça esse meu comentario, mas me decepcionei um pouco (quase nada, diga-se de passagem) com tuas palavras. De qualquer forma fica bem, e felicidades.

susielijah disse...

Se foi concedido pelo juiz significa que era o melhor que poderia ser feito para as crianças.Considero mehor que fique com pessoas,sendo gay ou não do que sem amparo algum.
Um abraço

jeferson_bispo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
jeferson_bispo disse...

nossa sociedade está passando por mudanças...

as familias estão mudando em sua formação...

as 'minorias' estão buscando seu espaço, por assim dizer.

com tanto que eles sejam responsáveis com as atribuições de pais na atualidade [o que não é tarefa fácil]: dar amor, carinho, educação, exemplos, formando assim, essas 4 crianças, em 4 pessoas de bem.

as crianças precisarão sim de uma figura feminina, que pode ser qualquer pessoa por quem elas nutram afeto.

com essa atitude do juiz, vejo a abertura de precedentes; é um movimento de agregar, no nosso meio social, exemplos que se tornam notórios e logo veremos a lei, atender melhor os cidadãos...

N@n@ disse...

Querido Medrado.
Penso que é òtimo elas estarem juntas.Não sou preconceituosa, porém imagino as situações que elas possam vir a passar junto aos pais. Sabemos do quanto é dificil hoje criar e educar nossos filhos, numa sociedade em que cada vez mais os valores são invertidos.
Dizem os mais velhos que: "OS filhos são o espelho dos Pais"
Mas o AMOR acima de tudo!

M. Nilcéia Juncklaus Preis disse...

Palmas para a justiça paulista!! Viu no casal as condiçoes necessárias para que os irmãos fossem educados. Usar a opção sexual do casal como desculpa para não dar a guarda é preconceito. Com certeza olhou a estrutura moral, afetiva, material... que estava sendo oferecida.
No imaginário da grande maioria de nós, quando se fala em casal gay, está esteriotipado o conceito/imagem chula que a mídia normalmente mostra. Acredito, sinceramente, que se a justiça viu condições de adoção no casal é porque possuem os alicerces adequados para que a personalidade dos quatro irmãos se desenvolva com segurança.
As questões sobre referência masculina/feminina, situações/preconceitos que o casal ou a crianças poderão enfrentar são irrelevantes quando há AMOR.

Medrado yaqqir, vou me permitir te fazer uma sugestão sobre o blog.
Quando fores postar um novo tópico, poderias deixar o TEU entendimento sobre o último tópico, assim estaríamos interagindo mais, pois nem sempre (nós que somos de fora de SSA) conseguimos te acompanhar pela rádio, TV, jornal, etc.. onde, certamente, te expressas sobre os temas.

beijo

Nil

Beto disse...

Normalmente, nestes processos, há uma verificação das possibilidades financeiras e psicológicas dos pleiteantes à adoção. Havendo algum impedimento, a justiça não deliberaria em favor do casal homossexual, assim como também não decidiria em favor de um casal heterossexual em situação semelhante. Penso que a justiça deve ser sempre cega a ponto de obliterar considerações meramente preconceituosas, caso possam atingí-la. Um indivíduo é o resultado de suas várias experiências e tendências e não deve ser julgado apenas por uma de suas múltiplas facetas. O prisma reflete a luz por diversos espaços. As crianças estarão em boas mãos. Não devemos julgar as opções das pessoas, apenas por discordar de posturas diversas das nossas, mas apenas absorvê-las e tentar tirar um aprendizado útil para nós e para o micromundo ao nosso entorno. Sectarismo nunca, amor universal sempre... a fraternidade começa em nós, em nossos olhos e maneirismos. http://enigmadebresa.zip.net

Judite disse...

Boa tarde amigo querido!!!!
Quem se propõe a adotar uma criança JÁ possui boa índole.
Claro que APROVO, essas crianças vão ter amor, carinho, instrução e não ficarão passando fome nas ruas.
Abraço FORRRRRRRRTE

Sirius ॐ disse...

Para mim o importante é que criança tenha um lar, amor, carinho e atenção. Algumas pesquisas vêm sendo feitas e tem-se comprovado que o fato dessas crianças serem criadas e educadas por casais homossexuais não interfere na formação da identidade sexual do individuo. Isso é mero preconceito e hipocrisia social!
Ass: Rodrigo Reis

Mylla disse...

Oi Medrado, Admiro a sensibilidade do Poder Judiciário em fazer Justiça no caso concreto. Nossos legisladores condenam a homfobia, elevando-a a crime, mas é omissa e injusta ao não editar lei no sentindo de admitir, tanto a união como a adoção. As crianças precisam de amor, atenção e dedicação. Precisam de um lar, ou seja, um lugar de amor e respeito e isto elas podem encontrar em muitos lares, independentes da orientação sexual dos adotantes. A família vive de paradigmas, antes chocava a sociedade filhos de pais separados, hoje não mais!!! Parábens pelo blog e por levantar um tema tão importante.
Beijo carinhoso

Iris Almeida disse...

Acho otimooo. Muito bom!!!
Precisamos quebrar paradigmas, e raramente fatos estão acontecendo para fortalecer esse ideal. Precisamos de verdade focar na solução e ser criado por um casal homossexual acredito não ser o foco.Acredito sim que não haverá interferência na formação moral e ou sexual, desde que o casal mantenha uma conduta correta na educação e criação dos meninos pois poderá esta suseptivel aos mesmos problemas que poderá ter na criação por um casal heterossexual.
Caso contrario devemos tambem, pensar em crianças criadas apenas pela mãe ou apenas pelo pai ou qualquer situação que difere a criação por um homem+mulher.
Abraçosss

CIDA disse...

OI, GENTE !
A CRIANÇA PRECISA DE AMOR, RESPEITO, EDUCAÇÃO ENTRE OUTRAS COISAS.
TENHO DUAS FILHAS, IRMÃS BIOLOGICAS, ADOTADAS DESDE O NASCIMENTO,HOJE COM 5 E 6 ANOS.
SOU HOMOSSEXUAL, VIVO UMA UNIÃO ESTÁVEL HÁ 6 ANOS E AMBAS AS CRANÇAS SÃO PERFEITAMENTE NORMAIS, NUNCA EXPRESSARM FALTA DA FIGURA MASCULINA OU COISA ASSIM, AO CONTRÁRIO, ACHAM MARAVILHOSO O FATO DE TEREM DUAS MÃES, POIS SEMPRE FOI COLOCADO PARA ELAS QUE A MELHOR COISA DO MUNDO É TER UMA MÃE...
ENFIM, A CRIANÇA NÃO TEM PRECONCEITO E SE ESTIMULADAS E BEM ORIENTADAS SABEM VIVER BEM EM QUALQUER SITUAÇÃO.
ELAS TEM UMA UNICA CERTEZA NA VIDA QUE É O AMOR INCONDICIONAL QUE EXISTE ENTRE NÓS QUATRO...
ISSO É O QUE IMPORTA PARA NÓS.
QUE TODAS AS FAMILIAS HOMO OU HETEROS MANIFESTEM NO DIA A DIA TODO ESSE RESPEITO E AMOR QUE TEMOS NA NOSSA FAMILIA !
ABRAÇO A TODOS !

Mila disse...

Se um relacionamento homosseual fosse determinante na opção sexual do filho, não existiriam homossexuais.

Tenho pais heterossexuais e não sou heterossexual. Apenas amo almas... não são os pais q influenciam em condições sexuais.