terça-feira, 10 de março de 2009

ESTÍMULOS E DESAFIOS

Minha gente, senti-me estimulado por todos vocês ao estarem na Cidade da Luz, na última terça; foram quase três mil pessoas para aquela festa linda, que vocês ajudaram a fazer. O estímulo nasce, pois, quando inicio determinadas manifestações, sou criticado, tentam me ridicularizar - o movimento espírita oficial - , mas azar deles, não estou nem aí, hehehehe. Precisamos, cada vez mais, gritar diante destas incoerências que vemos em nome de religiões. Chega de sermos massa-de-manobra dessa gente tirada a santa. Vejam o que aconteceu em relação à excomunhão dos médicos e da mãe da menina que precisou fazer o aborto: o Secretário da CNBB voltou atrás e disse que não foi uma excomunhão, bla, bla, bla....Foi, sim, e se arrependeram, em razão da repercussão. Um abração e até.

12 comentários:

disse...

Medrado,

Cada dia me decepciono com a Igreja Católica, pela intolerância e insensatez dos seus representantes. Alguns padres tomam certas atitudes que discordamos. Deus não quer isso. Como exemplo, a excomunhão dos pais e do médico da menina de 9 anos que foi estuprada e ainda deixou registrado "que o aborto foi pior que o estupro". É inacreditável!

Abraços,

Teka Neumann

M. Nilcéia Juncklaus Preis disse...

Amigo querido,

Mesmo não estando na Cidade da Luz naquela terça, comungo contigo dos ideais, crenças e da forma como tu as manifestas, procurando sempre espelhar a prática na coerencia da Doutrina.
Então me sinto, também, uma fraçãozinha responsável pelo estímulo que recebeste.
Já expressei-me, em outras oportunidades, que acredito que é através desta coerência que a luz da Doutrina chegará a todos.
Sim, a hipocrisia ainda é latente na religiões, principalmente nas sua organizações, porém ve-se que hoje não basta os clérigos virem de dedo em riste e dizer que o certo é isso ou aquilo.
Hoje, amigo Medrado, há muito mais pessoas que estão raciocinando mais sobre os assuntos da fé;
Hoje, amigo Medrado, temos pessoas como tu, Adenauer, Alamar e tantos outros que não se calam frente as incoerências e hipocrisias dos prelados regligiosos, mesmo que sejam os da nossa Doutrina.
Sei, são poucos, precisariamos muito mais, porém, são vocês que estão plantando a semente.
Chegará o tempo em que todos aproveitarão os frutos.
Não desista, nós estamos aqui contribuindo, adubando a semente, com nosso estímulo, divulgação, vivencia e aprendendo, principalmente, a raciocinar com coerência!

Um abraço carinhoso!

Nil

Moisés Gomes disse...

Amiga,
Não se decepcione tanto com a Igreja Católica, afinal foi um homem o autor da excumunhão, e como humanos estamos aptos a cometermos erros. Ele por sua vez ja se retratou da sua ignorancia, não sei até onde vai esses dogmas ultrapassados da IC.

Moisés Gomes disse...

Blogueiros de plantão, desejem-me boas vindas, é a primeira vez que eu timidamente participo desse blogg. Relutei muito em adentrar, agora que estou não pretendo sair mais. Abraços, Moisés Gomes, o amigo de todas as horas.

M. Nilcéia Juncklaus Preis disse...

Bem vindo Moisés!
Participar e discutir, mesmo que virtualmente, é sempre uma maneira de nos conhecer melhor, conhecer os outros e contribuir para nossa evolução como seres humanos.
Colocando nossos posicionamentos, podemos reafirmá-los, reve-los, ter outro entendimento, modificá-los.
Sempre com ética e respeito. Por nós mesmos, pelo outro, pelas instituições e pelos meios que usamos para conversar.
Moisés, não se stresse comigo, viu?!!!Apesar do sobrenome, tenho ascendencia italiana, então escrever um montão, é uma maneira de falar com as mãos e muito!! rsrsrs
É bom te ter aqui.
Receba meu carinho!

Nil

Antonio Pereira (Apon) disse...

Eles querem que seus fiéis "pequem" sem camisinha, excomungaram o médico e a mãe da menina de NOVE ANOS, que por conta de um estupro, estava grávida de gêmeos e poderia morrer se não tivesse interrompida a gestação. Criticaram o presidente Lula, mandando-o aprender teologia. Agora estão esperneando, pelo fato do presidente Obama, liberar recursos para a pesquisa de células tronco embrionárias...

Parece que tem gente com saudades das cruzadas, das fogueiras da inquisição, da cobrança de indulgências...

Por fim, daqui a algumas décadas (ou séculos). Algum Papa pedirá perdão por mais alguns desserviços prestados a humanidade.

Antonio Pereira
http://br.geocities.com/aponarte/

jeferson_bispo disse...

Estive nessa festa interreligiosa. Saí de lá muito contente. o que acho engraçado é que um evento como esse não chegue à mídia, entretanto, assuntos como os da Igreja Católica (IC), chegam, e aos borbotões. O que chama a atenção não é a reunião de líderes religiosos, mas sim, a opnião atrasada de uma determinada religião. Pense, Medrado, que uma amigo, próximo de ter uma titulação junto a IC queria me convencer que esta é uma coisa boa e os outros a vêem mal. Ele me sugeriu que a festa de Santa Bárbara é um exemplo do consentimento da IC quanto às religiões distintas... Tive que explicar a ele o que é sincretismo na Bahia. Depois, ele veio com outra: segundo ele a IC permitiu as baianas, na lavagem do Senhor do Bonfim, a entrada à igreja. Mais uma vez, tive que sugerir sua reflexão. Questionei sobre terem essas baianas subido ao altar, para, junto ao padre, concelebrar a missa... Chego a uma conclusão. a intituição IC tem seus seguidores e os que a defendem inescrupulosamente. E a reflexão? Será que existe esse vocábulo no arcabouço de palavras da IC? Ainda duvido,

jeferson_bispo disse...

Moisés?

seja bem vindo,

abraços,


PS: Nilcéia, será que tenho ascendência italiana também? Escrevo demais... Mas, sei que ninguém ficará sabendo, hahahahahaahah

PAULO ANDRÉ DOS SANTOS disse...

Como canta os tribalistas: "Eu sou de ninguém...Eu sou de todo mundo e todo mundo me quer bem."...Bem, quando se trata de abordar a questão religiosa temos que ter o cuidado de saber em que estamos pisando. Eu não sou religioso, não sou teocêntrico, no sentido de pensar que só o Deus de minha cultura é o centro do mundo. Respeito todas as religiões. Entendo que todas elas tem muito a contribuir com a humanidade. Nesse sentido, interpretando à maneira yang ping...para mim, toda religião tem seus aspectos positivos e negativos. Especificamente, nesse caso da menina de 9 anos, que era estuprada desde os seis, é completamente abominável, além do estupro, querer interferir no livre arbítrio...A gravidez da menina é risco de vida e, mais do que isso, caso sobrevivesse à gestação, seria uma marca violenta para o resto da vida. Interferências da Igreja em determinados assuntos como o uso de camisinha na África e em relação ao aborto em decorrência de situações especiais, pode significar para ela o início-do-fim. A igreja precisa se situar na realidade, ao invés de ficar julgando na contemporaneidade com as leis "do tempo de Moisés".

Judite disse...

Querido amigo!!!
Festa LINDA que acompanhei pela net!!!
SEMPRE estimulo seus trabalhos porque ADMIRO sua luta em prol da união dos povos.
Repito:NADA deixa Deus mais feliz do que ver SEUS filhos juntos!CONTINUE GRITANDO, farei ECO daqui...
Abraço FORRRRRRRRRRRRRRTE

Dany Santiago disse...

Quando todos estiverem contra ti mas você continuar em nome do amor de Deus por todos os teus filhos, Ele estará com vc! Se Ele está com vc, o que nos fará estar contra? :) Amoadoro! Vc tem toda razão, união!

Marcos disse...

Olhem o que pensa um outro lado da igreja catolica, sobre o incidente do MST. Tem um lado da igreja que fez a opção de esta ao lado do povo,sem hipocrisia... muitos vivem a mesma realidade e por isso entendem a nescessidade da luta.
não tomemos a parte pelo todo!
forte abraço.



“Ai dos que coam mosquitos e engolem camelos” (MT 23,24)

A Coordenação Nacional da CPT diante das manifestações do presidente do STF, Gilmar Mendes, vem a público se manifestar.

No dia 25 de fevereiro, à raiz da morte de quatro seguranças armados de fazendas no Pernambuco e de ocupações de terras no Pontal do Paranapanema, o ministro acusou os movimentos de praticarem ações ilegais e criticou o poder executivo de cometer ato ilícito por repassar recursos públicos para quem, segundo ele, pratica ações ilegais.

Cobrou do Ministério Público investigação sobre tais repasses. No dia 4 de março, voltou à carga discordando do procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, para quem o repasse de dinheiro público a entidades que “invadem” propriedades públicas ou privadas, como o MST, não deve ser classificado automaticamente como crime.O ministro, então, anunciou a decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), do qual ele mesmo é presidente, de recomendar aos tribunais de todo o país que seja dada prioridade a ações sobre conflitos fundiários.

Esta medida de dar prioridade aos conflitos agrários era mais do que necessária. Quem sabe com ela aconteça o julgamento das apelações dos responsáveis pelo massacre de Eldorado de Carajás, (PA), sucedido em 1996; tenha um desfecho o processo do massacre de Corumbiara, (RO), (1995); seja por fim julgada a chacina dos fiscais do Ministério do Trabalho, em Unaí, MG (2004); seja também julgado o massacre de sem terras, em Felisburgo (MG) 2004; o mesmo acontecendo com o arrastado julgamento do assassinato de Irmã Dorothy Stang, em Anapu (PA) no ano de2005, e cuja federalização foi negada pelo STJ, em 2005.

Quem sabe com esta medida possam ser analisados os mais de mil e quinhentos casos de assassinato de trabalhadores do campo. A CPT, com efeito, registrou de 1985 a 2007, 1.117 ocorrências de conflitos com a morte de 1.493 trabalhadores. (Em 2008, ainda dados parciais, são 23 os assassinatos). Destas 1.117 ocorrências, só 85 foram julgadas até hoje, tendo sido condenados 71 executores dos crimes e absolvidos 49 e condenados somente 19 mandantes, dos quais nenhum se encontra preso. Ou aguardam julgamento das apelações em liberdade, ou fugiram da prisão, muitas vezes pela porta da frente, ou morreram.

Causa estranheza, porém, o fato desta medida estar sendo tomada neste momento. A prioridade pedida pelo CNJ será para o conjunto dos conflitos fundiários ou para levantar as ações dos sem terra a fim de incriminá-los? Pelo que se pode deduzir da fala do presidente do STF, “faltam só dois anos para o fim do governo Lula”... e não se pode esperar, “pois estamos falando de mortes” nos parece ser a segunda alternativa, pois conflitos fundiários, seguidos de mortes, são constantes. Alguém já viu, por acaso, este presidente do Supremo se levantar contra a violência que se abate sobre os trabalhadores do campo, ou denunciar a grilagem de terras públicas, ou cobrar medidas contra os fazendeiros que exploram mão-de-obra escrava?

Ao contrário, o ministro vem se mostrando insistentemente zeloso em cobrar do governo as migalhas repassadas aos movimentos que hoje abastecem dezenas de cidades brasileiras com os produtos dos seus assentamentos, que conseguiram, com sua produção, elevar a renda de diversos municípios, além de suprirem o poder público em ações de educação, de assistência técnica, e em ações comunitárias. O ministro não faz a mesma cobrança em relação ao repasse de vultosos recursos ao agronegócio e às suas entidades de classe.

Pelas intervenções do ministro se deduz que ele vê na organização dos trabalhadores sem terra, sobretudo no MST, uma ameaça constante aos direitos constitucionais.

O ministro Gilmar Mendes não esconde sua parcialidade e de que lado está. Como grande proprietário de terra no Mato Grosso ele é um representante das elites brasileiras, ciosas dos seus privilégios. Para ele e para elas os que valem, são os que impulsionam o “progresso”, embora ao preço do desvio de recursos, da grilagem de terras, da destruição do meio-ambiente, e da exploração da mão de obra em condições análogas às de trabalho escravo.

Gilmar Mendes escancara aos olhos da Nação a realidade do poder judiciário que, com raras exceções, vem colocando o direito à propriedade da terra como um direito absoluto e relativiza a sua função social. O poder judiciário, na maioria das vezes leniente com a classe dominante é agílimo para atender suas demandas contra os pequenos e extremamente lento ou omisso em face das justas reivindicações destes. Exemplo disso foi a veloz libertação do banqueiro Daniel Dantas, também grande latifundiário no Pará, mesmo pesando sobre ele acusações muito sérias, inclusive de tentativa de corrupção.

O Evangelho é incisivo ao denunciar a hipocrisia reinante nas altas esferas do poder: “Ai de vocês, guias cegos, vocês coam um mosquito, mas engolem um camelo” (MT 23,23-24).

Que o Deus de Justiça ilumine nosso País e o livre de juízes como Gilmar Mendes!

Goiânia, 6 de março de 2009.

Dom Xavier Gilles de Maupeou d’Ableiges
Presidente da Comissão Pastoral da Terra