segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

A ASSUSTADORA MORTE

CONTINUEM , POR FAVOR, ESCREVENDO AINDA SOBRE O POSTADO EMBAIXO, pois irei me pronunciar, mas gostaria aqui de registrar o desencarne de minha querida amiga REGINA COELI, quem não é de Salvador não a conhece, mas por aqui ela era uma colunista muito conhecida. Sou muito ligado à família, fui no hospital, na UTI, e ontem fiz o seu necrológio. Toda gente da alta sociedade daqui de Salvador estava presente, e pude verificar, ao lado daqules bate-papos de sempre nos velórios, que acho uma coisa horrível, quer dizer que só vão para cumprir uma obrigação, nada de oração, vibração...continuando: pude verificar algumas fisionomias assustadas. Parece que quando morre alguém ligado a nós há uma espécie de barreira que se quebra e o próximo poderá ser qualquer um ali. É esta a impressão que me dá. A morte ainda é muito temida.

12 comentários:

Beth Martins disse...

Medrado,
Ouvi ontem a sua homenagem à sua querida amiga recém desencarnada....foi digna e assim "entrou" p/eternidade.
A morte é uma volta p/casa!!!
Mas....essa gente que bate papo em velório...tem que colocar a mão na consciência!!!!!!
Um abraço!!!

judite disse...

Querido amigo...
TENHO MEDO da morte sim!!!Talvez MAIS do ato em si (não conseguir respirar, dor..) do que o que vou encontrar do OUTRO lado...Ás vezes me pergunto: se é TÂO BOA a espiritualidade, POR QUE quase todos os humanos temem o desencarne??Não teríamos uma consciência remota diferente???!..
Quanto à conversa em velórios é um TOTAL desrespeito ao morto e à família.No do meu pai QUASE coloquei uma pessoa prá fora do recinto, ela entendeu meu ohar e CALOU A BÔCA!!!infelizmente, no ano passado,PARA SEMPRE...
Abraço FORRRRRRRTE.

Silvinha disse...

Não gosto de falar sobre a morte. Até quando minha mãe diz que um dia vai morrer eu digo que ela não vai morrer nunca.Sei que isso não é verdade mas tenho medo não sei se mais da minha ouda morte dela.
Beijos Silvinha

Vivi, Ví's, Ví, Vive, Anye......... disse...

Medrado,

Infelizmente, o velório tem um quê de evento social, onde as pessoas são vistas e são comentadas...e isso não é de hoje...é um costume antiquíssimo!
Quanto à eutanásia, gostaria muito de saber a sua opinião...mas de antemão, digo que ainda tenho muitas dúvidas espirituais sobre o tema...um grande abraço!
Da sua fã e admiradora,
Viviane

Cristiano disse...

Amigo Medrado,
Li o tópico no blog e, por coincidência, na noite de domingo para segunda sonhei que estava com um amigo e nós estávamos em um tipo de vilarejo à sua procura para arranjarmos uma máquina de lavar. Chegávamos a um bar e o dono nos apontava aquela que seria a sua casa. Batemos à porta e uma senhora parecida com você disse que era sua irmã. Perguntamos por você e ela nos disse que você havia morrido de derrame cerebral. Fiquei triste na hora e pensei na sua grande obra, então despertei. Lembrei então que minha mãe diz que sonhar com morte significa vida. Fiz uma prece por você.
Bom, creio que a morte, por si só não é problema. O problema é como chegamos a ela, ou seja, como vivemos.
Um grande abraço Fraternal.

Dany Santiago disse...

O medo da morte Medrado é pelo fato: - Putz o que será de minha alma depois do meu desencarne, onde o véu da mentira, dos meus erros, etc, é tirado e então eu estarei totalmente exposto em minha nada real perfeição?! Socorro!!! RsRs

zenita disse...

Não tenho medo da Morte, até porque temos ela por certo, e certa como é, eu procuro sempre estabelecer uma comunhão de crescimento espiritual adequada de modo que eu possa cuidar de min mesma no meio deste mundo tão conturbado.Afinal é dever de todos nós primeiro fazermos a limpeza da Alma!!!!Abração Guru!!!!!

zuleide disse...

Olá meu querido Medrado, tenho muuito medo sim, além do lado da dor, do medo do desconhecido também tenho medo do julgamento de Deus, sei que todos os pecados que cometemos de algum jeito iremos responder por eles.

marquinhos disse...

Não tenho medo da morte ! e acho que isso é um medo babaca pois tenho certeza dentro do meu eu, que já morri varias vezes em outras vidas e encaro a morte como uma coisa natural, fui de designado para cá para passar um período aprender coisas e depois voltar pra lá onde deixei também amigos casa, bichos e outras coisas, sei também que é muito triste a sensação que sentimos quando chegamos a conclusão que aquela pessoa que agente tanto ama desapareceu ou seja deixou de existir. Eu mesmo às vezes tenho que me segurar e segurar muito quando eu penso que minha irmã partiu com 36 anos vitima de um câncer e ainda partiu no dia do seu próprio aniversário. Mas fazer o que? Temos que ser obediente ao que a vida maior determinou. E que Deus esteja do lado de todos que estão passando por isso agora e sempre....


Um abraço cheio de energia positiva e sincero aos corações partidos.


Marcos Antonio.

marquinhos disse...

Parceiros, ontem sem querer chorei a tôa, lembrando dos meus tempos com minha Mãe Dirce, tempos estes que infelizmente não voltam mais, o que é uma pena. Chorei também por não ter dito a ela muitas vezes que o amava, que fazia parte de minha vida, que tinha orgulho de ser seu filho. Coisas que hoje penso, será que eu fiz a coisa certa ?? Será que eu fiquei menos feliz de não ter dito isso ?? Infelizmente tenho certeza que não.

Aquela de sermos seres-humanos insensíveis é tolice, pois temos sim amigos leitores, a obrigação de se sentirmos felizes de alma e de coração, não cabendo ressentimentos, medos e dúvidas ao expressar o nosso amor nas coisas. Quando temos uma situação na qual demonstramos fragilidade de sentimentos, pisamos em ovos. Temos sim é que colocar para fora. Pois as coisas passam e nunca devemos deixar elas pela metade.

Queria muito sim ter dito à ela tudo o que queria, mas por incompetência de sentimentos não fiz, fui negligente, time medo. Pois hoje infelizmente as pessoas associam a gentileza e a cordialidade ao puxa-saquismo, pois a grande maioria é ressentida de emoções. Preferem ver o peito explodir por dentro do que se manifestar, num sinal claro de frustação.

Por estas e outras que hoje me pronuncio melhor com as coisas do coração, salvo em relação aos homens, pois sou muito tímido, confesso, mas pretendo corrigir isso com calma e afinco. Pois não aguento mais, tenho medo de acontecer a repetição do mesmo filme, mas agora com atores e atrizes diferentes.

Ame amigo leitor, com o coração, com justiça, lealdade, comprometimento e segurança. Pois vocês irão ver o coração tranqüilo e sereno.

Boa Segunda ! Começo de mais uma semana, de novos sentimentos e de novas dúvidas.

Marcos Antonio
imovovagos@ig.com.br

Bernadete disse...

Quando meu tio morreu, foi enterrado no mesmo jazigo onde foi enterrado minha irmã, minha avó, meu avô, meu pai... Eu olhei pra todos no dia do enterro e perguntei: quem será o próximo agora? Nossa, o povo ficou todo arrepiado!!! ahahahaha :)b

PAZ INTERIOR É A PAZ DE JESUS disse...

FUI EM U FUNERAL QUE FOI LINDO, FOI O DE MINHA TIA LUIZA FOI TODO CANTADO