domingo, 13 de dezembro de 2009

VOCÊ FARIA ESTE TESTE EM SEU FILHO, POR QUÊ?

Notícias recentes dão conta que duas empresas (EUA e Austrália) estão oferecendo um teste genético que pode apontar se o indivíduo teria predisposição maior para esportes de explosão ou para esportes de resistência.
O estudo dos pesquisadores australianos mostra que a variante do gene ACTN3 está aumentada nos dois sexos em atletas de alta velocidade, mas surpreendentemente a mesma variante tem um efeito diferente em homens e mulheres. Em comparação com a população normal, no sexo feminino, ela está aumentada em atletas de alta velocidade, mas diminuída naquelas de resistência. Pais devem testar seus filhos para determinar o tipo de esporte que eles vão praticar, baseados em apenas um dos aproximadamente 20.000 genes que possuímos? Vamos testar esse gene em crianças para saber se têm talento para serem atletas? Essas são as questões. Isso contraria o Espiritismo?

10 comentários:

Jeoman Almeida disse...

Eu não vejo problema algum em testar os genes pra descobrir aptidões fisicas ou intelectuais de uma pessoa, com o pensamento espirita vejo isso como evolução.
Existe muita coisa da biologia molecular que contraria os preceitos espiritas e humanos, assim como mutações geneticas, manipulação de genes para daquirir caracteristcas fisicas por puro egoismo.. isso sim deveria ser melhor pensado e discutido, mas se for apenas um teste como esse não vejo nenhum problema e tenho certeza que nao feri nenhum pilar da doutrina. Jeoman Almeida

Monique Pascalle disse...

Eu faria esse teste em meu filho sim, afinal de contas isso nao quer dizer q va ser determinante na vida adulta dele, pode ser q ele tem uma predisposição p determinado esporte, mas q se encante por outra área, qual o problema? quantas pessoas fazem teste de aptidao no 3 ano do ensino médio para ter uma idéia de que caminho seguir mas no final acaba enveredando por outra área? é mais uma alternativa a nosso favor na tentativa de acertar.
bj

Monique Pascalle disse...

Eu faria esse teste em meu filho sim, afinal de contas isso nao quer dizer q va ser determinante na vida adulta dele, pode ser q ele tem uma predisposição p determinado esporte, mas q se encante por outra área, qual o problema? quantas pessoas fazem teste de aptidao no 3 ano do ensino médio para ter uma idéia de que caminho seguir mas no final acaba enveredando por outra área? é mais uma alternativa a nosso favor na tentativa de acertar.

thiago disse...

Não vejo problemas. O autoconhecimento nos ajuda a superar as dificuldades. Temo apenas que o teste se transforme em obsessão para a formação de atletas. Acho que a prática de esportes deva ser encorajada entre os jovens e crianças, conhecer as suas aptidões ajuda, mas a escolha final deve ser sempre a vontade e a satisfação de quem pratica.

Luciana disse...

Pode ser útil, mas também limitante. A experimentação também é fundamental. E às vezes temos surpresas...
"Não sabendo que era impossível, ele foi lá e fez!" (Jean Cocteau, artista francês)

Julice Vieira disse...

Oi Medrado,
Não faria esse teste em meu filho, acho que não teria utilidade, pelos mesmos motivos que foram colocados aqui por Monique e Luciana. Meu filho joga Vôlei e joga bem. Imagine se os testes mostrassem que ele não teria talento para esse tipo de esporte?
Um abraço.

M. Nilcéia Juncklaus Preis disse...

Querido amigo Medrado!
Saudades!

É inquestionável a importância e a variedade de contribuições práticas, que a genética faz em vários campos da ciência.
Este leque de variedades é inimaginável para a Engenharia Genética. O ponto a se ponderar não é o que pode ser feito, penso eu, mas sim o que deve ser feito com responsabilidade, bom senso e ética.
As ciências, nas suas mais diferentes áreas, e aí está incluída a Engenharia Genética, é vista com naturalidade pelo Espiritismo, pois segundo Emmanuel os espíritos aqui reencarnam mediante preparação espiritual, obedecendo a planos superiores.
Entendemos que o Espiritismo deve aceitar as pesquisas e os avanços da Engenharia Genética quando dirigidas, essencialmente, para o bem da humanidade.
Os avanços da ciência são e serão cada vez mais visíveis, na proporção direta do merecimento do planeta, embora, inicialmente, e em muitas situações os homens façam mau uso destes avanços.
Eurípedes Kühl, em seu livro Genética e Espiritismo (FEB,1996) é muito feliz na sua afirmativa: "Prevendo doenças, mais fácil tratá-las. Menos doenças, menos dor. Menos dor, mais evolução espiritual. Mais evolução espiritual, mais amor entre os homens. E mais amor, mais próximos de Deus."
O livre-arbítrio do espírito encarnado é proporcional ao seu grau de evolução. Neste caso que colocas, a opção dos pais é a que lhes determina a consciência. As ciências, como afirmam os Espíritos Superiores, tem por objetivo contribuir com a evolução da humanidade.
Dengo carinhoso
Nil

disse...

Olá, amigos!
de
___00000___00000_____
__0000000_0000000___
__000000000000000____
___0000000000000____
____00000000000___
______0000000____
________000_____
_________0_____
desejo a vocês e toda
as suas famílias ótimos
preparativos,
_________ 00____
___________ 000_
FELIZ NATAL
______________ 00___
_____________ 0___
E PRÓSPERO ANO NOVO
___________ 0
Bjs._______ 0*´¨)
___¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨)
Dô. (¸.•´(¸.•´

jeferson_bispo disse...

não faria, não! os pais não tem o direito de testar que aptidão fisica os seus descendentes terão.

o questionamento desse "post" tráz a minha mente o filme UMA PROVA DE AMOR, no qual uma familia opta por gerar uma filha, a partir de combinação genética, para ajudar a irmã que sofre de câncer. o assombro acontece, quando a criança gerada torna-se adolescente e pede excução judicial de processo para ter sua emancipação.
entao, volto ao citado questionamento.. no caso das pesquisas de testes nos filhos e no caso da obra ficcional, há algo aí: o direito à sua particularidade.
um menor de idade não responde por seu atos, mas, nunca é consultado sobre decisões que dependem, sim, ao menos de uma discussão, de seu conhecimento sobre o assunto.

que tal os pais, curiosos com as aptidões físicas de seus filhos, preocuparem-se mais com o caráter que devem desencolver nos filhos?

a humanidade está precisando de boa conduta perante a vida, não de ser reduzida a números, testes...

Bia, Jarbas e Luquinha disse...

Não faria. Meu marido é atleta e torce para q nosso filho siga os passos dele. Eu tb torço para q meu filho se espelhe no pai, afinal de contas eu o escolhi, mas não quero q ele seja pressionado. Não acho saudável a maneira como muitos atletas conduzem o esporte. Muitos agem como as modelos. vivem um culto ao corpo, aos resultados e se esquecem das limitações q o tempo impõe. O tempo passa e fizeram pouca coisa na vida senão o esporte. A vida é muito mais q isso.

Se isso vai contra a doutrina eu não sei, mas acho q nossas crianças devam ser estimuladas a tentar coisas boas e não predestinadas a ser isso ou aquilo. E se elas quiserem algo diferente do q lhe foi apontado????