terça-feira, 26 de maio de 2009

NEONAZISTAS

Estou ficando preocupado com esta onda neonazista no nosso país. Um casal já morreu; hoje, em Porto Alegre, mais violência. Será que os país estão sem saber o que os seus filhos andam fazendo? Que tipo de controle poderia ser feito quanto a isso, o que vocês pensam?

8 comentários:

M. Nilcéia Juncklaus Preis disse...

É verdade amigo, a grande maioria dos pais não sabe ou não quer saber o que fazem seus filhos.
Uns por ingenuidade, outros por omissão mesmo, por delegarem à sociedade, a escola ou a própria vivencia do jovem, a responsabilidade da sua formação moral, da orientação dos princípios e valores éticos, morais e espirituais.
O controle?
Claro que as leis tem que ser cumpridas, pois temos princípios constitucionais claros e aplicáveis.
Mas penso que o maior controle é justamente a retomada da nossa responsabilidade de pais, de educadores, de integrantes daquele núcleo primordial da sociedade: a família.
Quem sabe nossos jovens no futuro vejam nos princípios que o Mestre nos legou e com os quais nossa doutrina libertária compactua, sejam os princípios e valores que lhes direcionem uma vivencia sem qualquer vinculação com ideologias que visem a discriminação entre os grupos sociais.
Um carinhoso abraço!

Nil

Simone Flôres disse...

Medrado,não há como, levianamente, especular sobre a educação que os neo nazistas receberam. O certo é que, baseado no comportamento que eles tem demonstrado, é fato que não há resquícios de valores morais nesses jovens.Os pais até podem ter passado bondade e respeito, mas, certamente, eles não foram capazes de absorver a educação moral que receberam (se é que receberam). O ser humano aprende sempre. Pela dor ou pelo amor. Sempre haverá tempo para que os neo nazistas revejam seus conceitos. O apredizado poderá vir pelo sofrimento, pela punição, ou de qualquer outra forma que cada um deles merecer. Cabe à polícia fazer a sua parte. Cabe aos pais, fazerem a sua. Cabe a esses jovens quererem melhorar...

Breno disse...

Veja bem Medrado, eu no lugar de filho acho que foi indispensavel ouvir um NÃO de minha mãe quando deveria...

Naquele caso da menina Eloar que foi morta pelo namorado, por exemplo, faltou o NÃO da mãe quando a filha quis namorar um rapaz 7 anos mais velho que ela... Faltou um NÃO da policia quando a amiga dela decidiu voltar para o apartamento...

Por isso que eu acho que o grande problema da sociedade, seja qual for a questão, estar em não saber ser contrariada...

Por isso que, na minha opinião, os pais são os grandes responsaveis, talvez nem seja os pais dessa geração, talvez tudo começou na primeira geração da familha que não soube dizer não a seu filho, que não soube dizer não a seu neto, a seu bisneto, tataraneto e chegou o presente, esse presente tão cruel, até para as pessoas que escutaram um NÃO mas não souberam usa-lo...

Carlos Jordan disse...

Bom dia Medrado,

Acho que grande parte da culpa desses acontecimentos é dos pais... que tem a missão de direcionar seus filhos ao caminho do amor e dos princípios morais.Hoje em dia com essa correria de trabalho diário eles não disponibilizam de um tempinho para poder dialogar com seus filhos, saber o que eles estão achando da escola, o que estão aprendendo ,enfim, eles direcionam essa responsabilidade para a professora a baba ou a internet e quando acontece algo de ruim se perguntam(não sei porque aconteceu isso ele sempre teve TUDO colégio bom,inglês...)Mas será que ele tinha tudo mesmo?Em minha opinião só faltava uma coisa que não custa nada, presença, dialogo, amor... é preciso saber viver.

Abraço para todos.

Judite disse...

Boa noite MEDRADOOO!!!!
Tenho notado,entre os amigos,como criam (inconscientemente) preconceitos em seus filhos, sobrinhos, netos, quando fazem comentários jocosos sôbre os afros...os gays...os de outra religiões que não professam.
É preciso um cuidado maior na educação dessas crianças, para que não cresçam com ódios, a ponto de cometerem, quando adultos,as atrocidades que estamos cansados de ver na mídia.
Bom fim de semana, abraço FORRRRTE

Cissa Villenueve - blogueira danada disse...

Talvez um pouco de liberdade sem limites por partes desses pais tão faltosos.Acredito tb que falta Deus no coração dessas pessoas, Medrado.

Deus tenha compaixão dessas pobres almas.

eneas disse...

olá,

acho que esse comportamento é um equivalente de algo que está cada vez mais ganhando força em nossa sociedade atualmente que é a atitude de resolução de conflitos, de natureza financeira, religiosa, etnica ou sexual, através do uso da força, da violencia. é muito complicado hoje em dia discutir com um vizinho ou em via pública quando somos agredidos ou desrespeitados. nunca se sabe se uma discussão em um bar, no sinal ou no supermercado pode evoluir paea algo mais grave ou até para um assassinato. no caso dos neonazistas há um agravante que é o preconceito racial. mas limitar a questão a uma falha na educação doméstica dessa galera é pouco. há um componente cultural muito forte no que diz respeito a atitudes conservadoras perpetuadas dentro e fora de casa como a intolerancia religiosa, o preconceito contra homossexuais e coisas assim. fora que devemos lembrar que a geração de pais de hoje é uma geração que há 20 ou 30 anos atrás começava a experimentar uma liberdade maior e que acredita que deve lidar com mais liberdade com seus filhos. esse caso em especial é mais um sinal de que devemos rever muita coisa se quisermos construir uma sociedade mais justa.

Mila disse...

A morte daquele rapaz na parada GLBT é que me assustou (aliás, o neonazismo sempre assusta)... as pessoas levam suas crenças ao extremo e sempre alguém acaba morrendo. Não sei se eram neonazistas, mas este tipo de morte sempre ocorre em decorrência de neonazistas.