quarta-feira, 13 de julho de 2011

Ser humano também é gente - Jornal A Tarde (Coluna Opinião)

A semana passada, vi uma matéria em um desses canais abertos de TV sobre um leão, de nome Ariel, que estava passando por um “grande drama”, pois tinha dificuldade para movimentar as patas traseiras. Pobre bichinho, porém o que me chamou a atenção foi o movimento de solidariedade que esse leão fez em toda a internet; pus o seu nome no pesquisador (leão Ariel) e tinha mais de 1.600.000 páginas, isso mesmo: um milhão e seiscentas mil páginas sobre o leão do Paraná.

As pessoas se voluntariavam para cuidar do leão, centenas de fisioterapeutas, veterinários, gente de toda ordem e lugar. Nada contra se cuidar bem dos animais, mas a própria ONU divulga que a cada três segundos uma criança morre de fome. Vemos, pelo Brasil inteiro, cidades onde os seres humanos vivem em favelas, cujas condições de vida são as mais desumanas possíveis, trabalham nas ruas catando lixo, no local onde moram não existe saneamento básico, nada. As crianças brincam entre montanhas de lixo e animais mortos e não vejo mobilização alguma nesse sistema para melhorar tal situação. A mim pareceu que um leão é muito mais importante do que um ser humano. Esse sistema é tão desigual e mesquinho com a vida real, que as pessoas, penso, perderam a noção do valor das coisas.

O ministro Magri, dos tempos de Collor, fez história ao ser flagrado usando carro oficial para levar sua cadela Orca ao veterinário. Indagado a respeito do mau uso do dinheiro público, Magri disparou com seriedade: “Cachorro também é ser humano”. Reconheçamos, o homem tinha razão, bicho virou gente e, ao que tudo indica, vice-versa.

Parece que o poeta Manuel Bandeira, houvera, em 1947, profetizado tudo isso, quando escreveu O Bicho: “Vi ontem um bicho/ Na imundície do pátio/ Catando comida entre os detritos/. Quando achava alguma coisa,/ Não examinava nem cheirava:/ Engolia com voracidade./ O bicho não era um cão,Não era um gato, / Não era um rato./ O bicho, meu Deus, era um homem”. Tudo normal, pois até os jegues e cavalos estão mais bem defendidos. Ainda vão pedir à polícia montada que invertam as suas posições.

José Medrado
Mestre em família pela Ucsal e fundador da Cidade da Luz

4 comentários:

JUSSIARA MELO disse...

Belíssimo texto, Medrado.

Concordo com todas as letras.
Não devemos maltratrar nenhum animal mas o que vemos atualmente chega a ser desonesto.

Cahorros e gatos tem vida de nababos, se gastam horrores. Agora até psicólogos eles tem.

E eu posso jurar que, estas pessoas que tratam os bichos como se fosse gente, dificilmente acolhe um desvalido, especialmente se ele estiver sujo, maltrapilho, drogado, enfim.

Fico tão indignada.

Na opinião é ótimo se ter contatos com animais embora eu não goste muito dessa aproximaçãos mas os bichos deveriam ter os seus lugares bem definidos em um lar.

Acho ests comportamentos doentis.

Abraços

Ed disse...

Concordo plenamente e uma muito me encomodo com as pessoas que vivem de reciclagem, tudo bem que eles ganham algumas migalhas com seu trabalho, mais é coisa que não se compara com, o grande beneficio que eles propocionam a toda humanidade pois estam protegendo o meio ambiente, preparando um mundo melhor para os que estão e os que virão, filhos e netos de todos nós que aqui estamos.Enquanto comerciarios, professores estudantes , funcionários publicos etc. fazem greve buscando melhores salarios e condicões de trabalho eles humildemente catam nossos lixos sem EPIS, mal cheirosos,sujos e alguns de nós nem temos a presteza de separar lixos organicos de não organicos, e pelo carnaval a prefeitura de salvador ainda cobra destes felizes homens, a autorização para fazerem este trabalho.Olhe Medrado eu em particular considero eles um grande profissional, tenho a certeza que um dia esta será a grande profissão do seculo, e aproveito para lhe pedir, pois adimiro tb o seu trabalho e tenho a certeza que vc vai me comprender, peça as pessoas em suas palestras e quando lhe for oportuno que separem os lixos de suas casas para facilitar a vida deles. -Infelismente outro dia vi uma nota falando da interferencia do governo sobre uma familia que estava educando os filhos em mandar para a escola aqui no Brasil fiquei horrorisada, pois não vejo a interferencia destes sobre as crianças que vivem nas sinaleiras, e nas mãos de pais que mendigam, pelo que soube é para deixar as crianças que querem andar nas ruas dizendo que isso e respeito como sou leiga não sei o que falar.

Alan Cosme disse...

Eu vejo isso como um pouco de hipocrisia.
Ver uma criança passando fome na televisão, por exemplo, comove mais do que ver a mesma criança nas mesmas condições na esquina da própria rua.

soninha disse...

Manuel Bandeira escreveu em 47,ano em que nasci, e, poucos dias atrás eu vi esta mesma cena na porta da nossa casa.
Eu costumo dizer que o íntimo do ser humano somente Deus conhece. Os psicólogos e psiquiatras tentam mas nem chegam perto da realidade.
" Por que agem assim com animais e não com humanos?"
Quem sabe as decepções sofridas com tais, foram tão intensas que resolveram optar pelos "ditos" irracionais?
Quem sabe estão carentes de oração?
Só Deus sabe.
Minha mãe diria: cada cabeça é um mundo...abçs e muita paz.